Notícias

Quarta, 24 Março 2021 12:18

AGGEMT apoia o Dia Nacional em Defesa do Serviço Público

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

 

Evento debaterá a reforma administrativa e terá a participação de dirigentes de classe, parlamentares e lideranças

A Associação dos Gestores Governamentais do Estado de Mato Grosso (AGGEMT) apoia o Dia Nacional em Defesa do Serviço Público, evento que acontece nesta terça-feira (24.03), das 14h às 17h (horários de Brasília), com transmissão ao vivo no link  https://youtu.be/42NnA9Y_eBk

A mobilização nacional ocorre sob a organização do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate), Movimento Nacional em Defesa do Serviço Público (BASTA) e Frente Parlamentar Mista em Defesa do Serviço Público (Servir) e tem adesão de entidades afins de todo o país.

 De acordo com o presidente da AGGEMT, Agno Vasconcelos, o movimento busca conscientizar e mobilizar os servidores quanto aos riscos de desmonte do Estado.

“O risco iminente de desmonte do Estado ocorre por conta de uma reforma administrativa mal formulada e sem fundamentação técnica e operacional, que não leva em conta as singularidades de cada ente e de sua capacidade de proporcionar serviços públicos de qualidade à população atendida. Afinal, é disso que se trata o serviço público: atendimento às necessidades da população menos assistida em todas as partes do Brasil”, contextualiza Agno Vasconcelos.

A abertura do evento será às 14h. Em seguida, dois painéis: PEC 186/2019, "Da emergencial fiscal e congelamento salarial", e "PEC 32/2020: Reforma administrativa ou precarização do serviço público?". Após os painéis, Lançamento do livro “Rumo ao Estado necessário”. Posteriormente o microfone ficará aberto para dirigentes de classe, parlamentares e lideranças. O encerramento está previsto para às 17h.

Em setembro de 2020, o governo federal enviou a proposta da reforma administrativa para a Câmara dos Deputados. Em 2021, essa é uma das prioridades no Legislativo, mas ainda pode demorar por conta de vários debates que devem ser feitos.

Identificada como PEC 32/20, essa reforma pode trazer impactos para os futuros servidores dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, incluindo a União, os Estados e Municípios.

Porém, a proposta não altera as regras para militares, magistrados, parlamentares, promotores e procuradores. Nem mesmo para aqueles que entrarem no serviço público após a aprovação da reforma.

Inicialmente ela não atinge os servidores estaduais, porém a estabilidade é um dos pontos que o governo pretende fazer alterações, e, se aprovada, as mudanças valerão para União, Estados, Municípios e para servidores públicos dos três poderes.

“Independente disto, entidades que congregam servidores estaduais de todas as esferas estão unidas em defesa da carreira”, frisa o presidente da AGGEMT.

 

Última modificação em Segunda, 12 Abril 2021 05:42

Siga-nos