Artigos

Terça, 27 Abril 2021 16:37

Programa de capacitação como instrumento de incentivo à produtividade

Escrito por
Avalie este item
(0 votos)

Em novembro de 2019, por meio da Portaria 81, a Controladoria Geral do Estado de Mato Grosso (CGE-MT) criou o Programa de Incentivo à Produtividade e Aperfeiçoamento dos Auditores do Estado. Portanto, o exercício de 2020 foi o primeiro ano de execução deste Programa, que obteve excelentes resultados, conforme apresentado a seguir. 

Por Gisele Gugel 

Em novembro de 2019, por meio da Portaria 81, a Controladoria Geral do Estado de Mato Grosso (CGE-MT) criou o Programa de Incentivo à Produtividade e Aperfeiçoamento dos Auditores do Estado. Portanto, o exercício de 2020 foi o primeiro ano de execução deste Programa, que obteve excelentes resultados, conforme apresentado a seguir. Este programa abrange toda a estrutura organizacional da CGE. Entretanto, neste artigo, destacamos os resultados da Secretaria Adjunta de Auditoria e Controle, que tem como missão o aperfeiçoamento dos sistemas de controle e a contribuição para a melhoria dos serviços públicos prestados ao cidadão. O corpo técnico desta adjunta é formado por 61 auditores, incluindo os auditores em cargo em chefia, e representa 70% dos Auditores do Estado.

O Programa de Incentivo à Produtividade e Aperfeiçoamento dos Auditores do Estado de Mato Grosso é formado por três eixos: produtividade, qualidade e capacitação. Contudo, a produtividade da Secretaria Adjunta de Auditoria e Controle já foi divulgada por esta Secretaria e está disponível no site da CGE. Passamos a apresentar os resultados da capacitação, que tem estrita ligação com o eixo da qualidade.

Primeiramente, destacamos que a capacitação tem por objetivo contribuir com o desenvolvimento do auditor, no qual cada auditor busca obter conhecimentos por meio de um processo permanente de aprendizagem de forma a aplicar suas competências individuais no desenvolvimento das competências institucionais. São considerados eventos de capacitação: cursos, treinamentos, seminários, congressos.

No Programa de incentivo ficam estabelecidos os critérios aceitos para pontuar as capacitações na ficha funcional do auditor e que, em conjunto com a produtividade e a qualidade da produção, possibilitam benefícios ao auditor que obtiver os pontos determinados no Programa.

Importante destacar que cada auditor busca sua capacitação nos parâmetros do Programa e elabora um Plano Individual de Capacitação, que é aprovado pela chefia imediata. Assim sendo, somente em 2020, na Secretaria Adjunta de Auditoria e Controle, os auditores realizaram capacitações que somam 14.361 horas, uma média de 239 horas por auditor, que corresponde a 66% de uma pós-graduação de 360 horas, todos esses resultados foram possíveis sem nenhum custo para a CGE.

As horas de capacitação são todas certificadas pelas instituições que as realizaram, como a própria CGE, no “Programa CGE ORIENTA – Estado Íntegro e Eficaz”, e outras instituições, das quais destacamos: ENAP – Escola Nacional de Administração Pública; CONACI – Conselho Nacional de Controle Interno; USP-ESALQ – Escola Superior de Agricultura “Luiz de Queiroz”; IIA BRASIL – Institutos dos Auditores Internos do Brasil;  CRC MT – Conselho Regional de Contabilidade de Mato Grosso.

Considerando os eixos de conhecimentos definidos no Programa, as capacitações do eixo de Auditoria somaram 6.907 horas, seguido por 4.075 horas de capacitação no eixo de formação acadêmica (segunda formação acadêmica) e pós-graduação e, em terceiro lugar em horas de capacitação, está o eixo Liderança e Gestão do Conhecimento com 2.401 horas.

O Secretário Adjunto de Auditoria e Controle, José Alves Pereira Filho, ressalta que: “Apesar da pontuação máxima ser estabelecida em 200 pontos, que equivale a nota 10, a maioria dos auditores se dedicou às capacitações e somaram acima dos 200 pontos estabelecidos. O programa de capacitação da CGE-MT se insere no componente gerenciamento de pessoas do modelo IA-CM desenvolvido pelo Instituto dos Auditores Internos (IIA), que possibilita a identificação dos elementos necessários para o estabelecimento de uma atividade de auditoria interna efetiva no setor público, de modo a fornecer um plano sequencial, lógico e evolutivo para o seu desenvolvimento, em alinhamento às necessidades da organização e aos padrões profissionais aplicáveis à atividade de auditoria interna. Cabe destacar que o programa de aperfeiçoamento profissional permitiu que CGE-MT atingisse o nível 3-Integrado (no total de 5 níveis) no componente Gerenciamento de Pessoas do modelo IA-CM, demonstrando já possuir profissionais com alto nível de qualificação e competência.”

Assim, considerando uma perspectiva de médio e longo prazo, bem como a continuidade das capacitações, o nível de conhecimento e da produtividade dos auditores certamente apresenta uma tendência de melhorar muito, visto que a produção está intrinsecamente ligada ao conhecimento e, desta forma, vislumbramos um aumento no número de “professores auditores” para o “Programa CGE ORIENTA”, que foi um sucesso em 2020 e é disponibilizado para todos os servidores do Estado e dos municípios mato-grossenses. Além disso, é preciso ressaltar que as mudanças impostas em 2020, como o teletrabalho e a capacitação on-line, possibilitaram o alcance desse resultado, sendo formas de trabalhar e estudar que vieram para ficar.

Gisele Gugel é Gestora Governamental atualmente lotada na CGE-MT. E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Última modificação em Segunda, 17 Mai 2021 15:04